[Brasil] Guarani Mbya: à espera de uma assinatura que lhe devolverá suas terras  

Marta Molina.- São Paulo, Brasil

Jera Poty Mirim é Guaraní Mbyá e mora em Tenondé Porã, uma das aldeias indígenas da capital de São Paulo. Nesta comunidade, na qual nasceu, trabalha com educação e pelo fortalecimento da cultura Guarani. É também uma das poucas mulheres que fazem parte da liderança interna, do Conselho indígena – algo pouco comum nas mais de 30 aldeias que existem no Estado de São Paulo.

“Sempre temos que trabalhar pela questão da cultura”, comenta “mesmo tendo a terra diminuída e não tendo mais pesca, não tendo mais caça e ter 26 hectareas para quase 1000 pessoas”

Em 1987 foram demarcadas 3 aldeias Guarani Mbyá na capital de São Paulo, uma área do Jaraguá – de duas identificadas- de apenas 0,7 hectareas, a Tenondé Porã, que tem 26hectareas, e a Krukutú, com 26 hectareas. A população, nessas aldeias tão pequenas de território, teve um crescimento populacional muito alto nos últimos 30 anos. “30 anos atrás havia 20-27 familias na Tenondé e hoje tem quase mil pessoas, quase 200 famílias”

Jera, acompanhada da poetisa Poty Porãn, nos explica como está hoje o processo de reconhecimento das terras tradicionais dos Mbyá e a importância da defesa do território para viver. O atual ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, é o responsável por dar a “canetada final” e assinar o trabalho de reconhecimento das áreas tradicionais que ficam na Grande São Paulo. Por isso, o povo Gusaraní Mbyá de São Paulo iniciou uma campanha de resistência que começou com um ato simbólico de pressão para o Ministro Cardoso: enviaram uma caneta de presente decorada com o trançado tradicional guarani (assistir vídeo da campanha: Assina logo, Cardozo!)

“Faz tempo que o Ministro Cardozo não usa a sua caneta para ajudar nenhum povo indígena, por isso que enviamos para ele de presente uma belíssima caneta que costumamos usar nos nossos artesanatos tradicionais”

Como parte da campanha de sensibilização eles pedem à população geral que assine uma petição online para recolher assinaturas de apoio. Por cada assinatura eles comprarão uma caneta que também será enviada para o ministro Cardozo. Até o dia de hoje já recolheram 1785 assinaturas, que o Ministério da Justiça receberá também em forma de caneta.

Para o próximo dia 17 de abril esta está previsto um debate no Pátio do Colégio às 16h. Escolheram esse lugar porque ali iniciou-se a construção da grande cidade de São Paulo, usando principalmente com mão escrava indígenas e negros. Dia 24 farão uma caminhada com distribuição de panfletos panfletos, exibição de faixas, apresentação de cantos e danças desde o MASP (Museu de Arte de São Paulo) até a Praça Roosvelt.

[vídeo da campanha]

[mais informação sobre a Campanha Guaraní em São Paulo em http://campanhaguaranisp.yvyrupa.org.br]

2 Respuestas a “[Brasil] Guarani Mbya: à espera de uma assinatura que lhe devolverá suas terras  

  1. Pingback: [Brasil] El día del indio será cuando recuperemos nuestras tierras | [RR] Reporting on Resistances

  2. Pingback: El día del indio será cuando recuperemos nuestras tierras

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s